O Sono da Criança

Rosa Gouveia, Vice-Presidente da Sociedade de Pediatria do Neurodesenvolvimento


O dormir representa uma importante actividade do dia-a-dia da criança. Se não forem adquiridos hábitos de sono adequados, isto terá repercussões no comportamento da criança e poderá levar a uma perturbação da vida familiar.
É frequente os pais aconselharem-se junto do médico acerca do sono dos seus filhos e manifestarem as suas preocupações.

Por outro lado, as histórias clínicas estandardizadas são omissas nesta matéria e os médicos que acompanham crianças estão pouco sensibilizados para interrogar os pais sobre os hábitos de sono dos seus filhos.

Assim, devem ser incluídas na história clínica as seguintes perguntas:
- O seu filho tem cama própria?
- Se sim, dorme nela?
- Se sim, adormece nela?
- Se não, com quem partilha?
- O seu filho tem quarto próprio?
- Se sim, dorme nele?
- Se não tem quarto próprio, com quem partilha?
- O seu filho tem dificuldade em adormecer?
- Se sim, o que faz para que ele adormeça?
- O seu filho acorda muitas vezes de noite?
- Se sim, o que faz quando ele acorda?
- O seu filho tem terrores nocturnos?
- O seu filho tem pesadelos?
- O seu filho tem sonambulismo?

É fundamental que a criança adquira desde cedo autonomia para adormecer, isto é, que seja capaz de adormecer sem a presença ou a interferência do adulto.
Durante a noite a criança passa por 5 a 8 ciclos de sono REM e sono não-REM. Na transição do sono não-REM (mais profundo) para o sono REM (mais leve) e durante o sono REM a criança pode acordar e readormece imediatamente.
Se a criança estiver habituada à presença do adulto para o primeiro adormecer, irá necessitar dessa presença várias vezes ao longo da noite, de cada vez que terá que readormecer.

A partir dos 8-9 meses a criança já tem capacidade para adquirir essa autonomia. Será esta a idade ideal para que se habitue a dormir no seu próprio quarto e na sua própria cama.

Para que adormeça de forma autónoma a criança deve ser deitada na sua cama acordada e não já a dormir.

O quarto de dormir deve ser sossegado, pintado em cores suaves, e, de preferência, deve ser utilizado exclusivamente como quarto de dormir e não como quarto de brincar.

O ritual que antecede o ir para a cama deve ser sempre idêntico, calmo, não precedido de brincadeiras violentas. O ritual pode ser, por exemplo, lavar os dentes, ouvir uma história que não contenha elementos assustadores e, de seguida, apagar a luz.

Na criança muito jovem recomenda-se o uso de um “objecto de transição”, que pode ser um boneco, a chupeta ou uma fralda. Este objecto tem um efeito tranquilizador e deve ser usado exclusivamente para adormecer, para que o bebé possa associá-lo ao dormir.

Muitas crianças acordam durante a noite, choram ou chamam os pais. Nestas circunstâncias, a criança deve ser tranquilizada pelo adulto, que a deve deitar e deve dar-lhe a chupeta ou o objecto com que habitualmente dorme. Ao fim de algum tempo a criança será capaz de fazer tudo isto sozinha e dispensará a interferência do adulto para readormecer.
Algumas crianças sentem-se mais seguras com uma luz acesa ou a porta do quarto entreaberta.

Os maus hábitos de sono são difíceis de corrigir. Assim, o bebé que se habituou a adormecer ao colo ou embalado vai necessitar deste estímulo para o primeiro adormecer e para readormecer todas as vezes que acorda durante a noite. O mesmo acontece quando a criança adormece na cama dos pais ou quando os pais se deitam na cama da criança até esta adormecer. Cria-se uma dependência que irá persistir durante muito tempo.

PERGUNTAS FREQUENTES

É aconselhável o uso da chupeta para adormecer?
O acto de chuchar tem um efeito tranquilizador e ajuda a criança a adormecer, pelo que o uso da chupeta é aconselhável. Na sua ausência, muitas crianças irão chuchar no dedo, o que tem vários inconvenientes, como a deformação do maxilar superior com consequente má oclusão dentária. Para além disso, é mais fácil a criança deixar a chupeta na idade apropriada, enquanto que, se chuchar no dedo, terá maior dificuldade em abandonar o hábito.

Qual a melhor idade para o bebé sair do quarto dos pais e passar a dormir no seu próprio quarto?
A idade apropriada para o bebé passar a dormir no seu próprio quarto é variável, mas será em princípio quando deixar de mamar durante a noite, ou seja, pelos 6 meses, embora a autonomia do sono seja adquirida aos 8-9 meses. Os intercomunicadores são úteis para os pais ouvirem o bebé se este acordar.

Devemos embalá-lo, segurar-lhe na mão ou ficar com ele até que adormeça?
A criança deve ser ajudada desde cedo a adquirir autonomia para adormecer, ou seja, a ser capaz de adormecer sem a interferência do adulto. Se a criança se habituar a adormecer com a presença do adulto, vai necessitar dessa presença sempre que acordar durante a noite.

Devemos deixar uma luz acesa?
A necessidade de luz acesa prende-se com a autonomia no adormecer. Se a criança se habituou a adormecer com uma luz acesa vai necessitar dessa luz acesa para readormecer todas as vezes que acordar durante a noite. Da mesma forma, se a criança se habituou a adormecer na total escuridão, só readormecerá durante a noite se estiver escuro. Existem luzes piloto que dão uma iluminação muito ténue e que são apropriadas para o quarto da criança.

Necessita de um boneco para adormecer?
Dormir com o boneco favorito ajuda a criança a adormecer de forma autónoma. Esse boneco deve ser utilizado exclusivamente para o efeito e deve obedecer a todas as condições de segurança (mole, lavável, sem peças pequenas que se possam desprender, sem pêlos).

Devemos tirar o bebé da cama quando chora?
É um erro levantar o bebé da cama sempre que chora, pois há o risco de se tornar um hábito e de só deixar de chorar quando sair da cama. Deve-se acalmar o bebé verbalmente, dar-lhe a chupeta e deixar que readormeça. Isto não se aplica se a criança estiver com fome ou doente.

Pode dormir na cama dos pais?
Pontualmente ou a título excepcional não há inconveniente, mas não se deve tornar um hábito, para que a criança não passe a dormir a primeira parte da noite na sua própria cama e o resto da noite na cama dos pais. Neste último caso terá muita dificuldade em adquirir autonomia do adormecer e do sono.

Devemos contar-lhe uma história antes de adormecer?
O ritual antes de adormecer vai ajudar a criança. Esse ritual inclui entre outras coisas o lavar os dentes, o desejar as boas noites aos familiares e a leitura da história que também tem o efeito de estimular o hábito de leitura. Devem ser escolhidas histórias calmas, com final feliz e que não contenham episódios assustadores que poderão levar a criança a ter pesadelos.

Pode ver televisão antes de ir para a cama?
A televisão faz parte da vida da criança e não deve ser proibida. Não há qualquer inconveniente em que a criança veja um pouco de televisão antes de ir para a cama, desde que veja um programa adequado, de preferência acompanhada para que o possa comentar com o adulto, e dentro de um horário apropriado de forma a não se deitar tarde.

Como devo proceder com o sonambulismo do meu filho?
O sonambulismo não é raro na criança. Algumas crianças sentam-se na cama, mas outras levantam-se e deambulam pela casa durante o sono, havendo o risco de caírem ou de se magoarem. Em caso de sonambulismo não se deve acordar a criança, pois ela está a dormir e ficará desorientada se acordar em pé no meio da sala. O melhor é conduzi-la calmamente para a cama e deitá-la, evitando que ela caia ou se magoe.

O meu filho tem terrores nocturnos. Como devo proceder?
Os terrores nocturnos ocorrem cerca de 90 minutos depois do adormecer, têm 1 ou 2 minutos de duração e afectam crianças entre os 3 e os 12 anos de idade. A criança grita como se estivesse muito assustada, por vezes senta-se na cama e pode ter os olhos abertos. Apesar disto, a criança está a dormir e, tal como no sonambulismo, não deve ser acordada, pois ficaria assustada. Deve apenas ser deitada calmamente. O terror nocturno não deixa memória.

O meu filho tem pesadelos. Como devo proceder?
Os pesadelos existem tanto no adulto como na criança, e o conteúdo do sonho fica gravado na memória o que pode causar ansiedade e perturbar o seu dia a dia. Nestes casos a criança deve ser encorajada a contar o sonho ao adulto, que o irá comentar e desmistificar.

O meu filho movimenta muito a cabeça e bate com a cabeça nas grades da cama para adormecer. É normal?
Muitas crianças abanam ou batem com a cabeça para adormecer. É difícil de contrariar e costuma desaparecer espontaneamente.

O meu filho range os dentes. É normal?
O ranger dos dentes também é um comportamento usado por algumas crianças para adormecer ou mesmo durante o sono. Costuma desaparecer espontaneamente.

BIBLIOGRAFIA

- Barry Zuckerman – Sleep problems – Developmental and Behavioral Pediatrics: A handbook for Primary Care – Steven Parker, Barry Zuckerman, Marilyn Augustyn – 2nd Edition – Lippincott Williams and Wilkins – 2004
- Thomas F. Anders, MD, Beth L. Goodlin-Jones, PhD – Departamento de Psiquiatria, Universidade da Califórnia, Davis e Marina Zelenko, MD – Departamento de Psiquiatria, Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford – Desenvolvimento dos Estádios de Sono-Vigília e sua Regulação no Lactente – Acta Pediatr.Port., 1999, nº 1; Vol. 30: 101-4
- Kevin P. Connely – Sleep Disorders: Night Terrors – eMedicine – 1 de Março de 2006
- Kevin P. Connely – Sleep Disorders: Nightmares – eMedicine – 1 de Março de 2006
- Denis A. Nutter, MD – Sleep Disorders: Problems associated with other Disorders – eMedicine – 4 de Abril de 2007

sociedade  |  contactos  |  agenda  |  homepage